top of page
  • Foto do escritorMariele Hertha

Solidão e Isolamento Social em Adultos: Consequências Negativas

Mulher sozinha olhando pela janela

Primeiramente, é preciso compreender que isolamento social e a solidão são conceitos relacionados, mas distintos.


O isolamento social caracteriza-se pela falta de contatos sociais e de pessoas com quem interagir com regularidade.


A solidão é o sentimento de estar sozinho.


É possível um indivíduo sentir-se só mesmo tendo relações sociais. Também há a possibilidade de uma pessoa ter pouco contato humano, mas não se sentir sozinha.



Adultos que se sentem solitários ou vivem isolados socialmente tendem a ser menos saudáveis.


Eles correm maior risco de ter internações hospitalares mais longas e frequentes, e têm maior probabilidade de morrer prematuramente do que aqueles que mantêm conexões sociais significativas.


A solidão e o isolamento social estão associados a condições como hipertensão, doenças cardiovasculares, obesidade, transtornos depressivos e de ansiedade, declínio cognitivo e demência.


Indivíduos solitários ou socialmente isolados geralmente praticam menos atividade física, consomem mais álcool, fumam e têm problemas de sono (fatores que aumentam o risco de doenças).


Pessoas com boas relações sociais têm 50% mais chances de sobreviver em comparação com aquelas com relações sociais pobres ou insuficientes.


O impacto disso é comparável ao de parar de fumar e supera o impacto de muitos fatores de risco de morte conhecidos, como obesidade e sedentarismo.


Por isso, nos cuidados da saúde mental, identificamos e tratamos não apenas fatores de risco como dieta, exercícios físicos e tabagismo, mas também o problema da solidão.


Consulte um psiquiatra.



© 2024 HERTHA Psiquiatria. Todos os direitos reservados. O material do blog pode ser reproduzido livremente, desde que citada a fonte.

0 visualização

Σχόλια


bottom of page