top of page
  • Foto do escritorMariele Hertha

Depressão e Exame de Dosagem de Serotonina no Sangue: essa Abordagem funciona?

Médica conversa com a paciente

Pergunta comum entre pacientes que sofrem de depressão é: “Por que não solicitar um exame de dosagem de serotonina no sangue?”.


Infelizmente, tal exame seria ineficaz.


A ideia de que a depressão é simplesmente uma questão de falta de serotonina é simplista.



Embora a serotonina, um neurotransmissor, desempenhe um papel crucial na regulação do humor, a depressão não pode ser atribuída apenas a baixos níveis desse neurotransmissor.


A depressão é resultado de uma série de fatores e mecanismos subjacentes complexos.


Os mecanismos subjacentes à depressão envolvem uma combinação de fatores genéticos, biológicos, ambientais e psicológicos.


Estudos mostram que a depressão está associada a alterações na estrutura e função do cérebro, incluindo redução do volume de certas regiões e desequilíbrios nos neurotransmissores.


Os medicamentos antidepressivos desempenham um papel importante no tratamento da depressão.


No entanto, seu mecanismo de ação é mais amplo do que simplesmente aumentar a serotonina.


Eles atuam potencializando, direta ou indiretamente, as ações da norepinefrina e/ou da serotonina (5-HT) no cérebro.


Além disso, cada classe de antidepressivos trabalha de uma forma diferente, como os Inibidores Seletivos da Recaptação de Serotonina (ISRS), que inibem seletivamente a recaptação de serotonina.


Assim, embora a serotonina desempenhe um papel na depressão, a condição é muito mais complexa e requer uma abordagem de tratamento multifacetada.


Busque um psiquiatra para lhe ajudar.



© 2024 HERTHA Psiquiatria. Todos os direitos reservados. O material do blog pode ser reproduzido livremente, desde que citada a fonte.

2 visualizações

Comments


bottom of page